Mercado do ramo imobiliário exige profissionais especializados

Above view of business team sitting around table and working

Que o conhecimento dos corretores de imóveis é imprescindível para a conclusão de contratos vantajosos enquanto ocorrem operações mercadológicas, já não é segredo para ninguém. O que muda perante o atual momento financeiro que o país enfrenta, é o prosseguimento apenas dos corretores credenciados no setor.

Os corretores que se mantêm firmes no segmento têm como diferenciais o conhecimento e as constantes atualizações que são imprescindíveis para o alcance de resultados positivos no desenvolvimento do trabalho. Mais que um atendimento, o corretor precisa prestar uma assessoria completa em investimentos imobiliários. Caso contrário, ele não consegue atender as atuais demandas dos clientes.

A categoria, que completou 54 anos de regulamentação no dia 28 de agosto, tem sido cada vez mais valorizada e procurada por profissionais que querem entrar para o ramo. De acordo com pesquisa feita pelo Conselho Regional de Corretores de Imóveis de Minas Gerais (CRECI-MG), na última década, mais de 11 mil profissionais ingressaram no mercado como pessoas físicas, com um nível de escolaridade cada vez mais alto.

Com um perfil de clientes diversificado, o corretor de imóveis precisa saber lidar com as exigências e às expectativas de cada caso. Por isso, é importante que o profissional conheça bem o mercado em que atua, desenvolva técnicas de marketing, de comunicação e de vendas online e off-line e, principalmente, tenha total percepção dos procedimentos que abrangem as transações imobiliárias.

Apesar dos atrativos que motivam uma pessoa a se tornar um corretor, entre eles, flexibilidade de horários, autonomia e comissões generosas, não basta escolher a profissão com base nesses bônus. O corretor precisa estar ainda mais atento à busca pela especialização e alta capacidade técnica.

Algumas imobiliárias adotam práticas de incentivo, além de cursos de graduação e pós-graduação para capacitação de seus profissionais. Empresas estimulam seus colaboradores à ascensão no mercado trabalho por meio de programas de treinamentos contínuos.

Todo o processo é feito por meio de um sistema permite ascensão de níveis aos corretores, conforme seu desempenho dentro da empresa e da rede, com planejamento e benefícios diferenciados por categoria. Cada associado pode fazer o acompanhamento online da pontuação e comissionamentos, assim, é possível potencializar os resultados, beneficiando também os clientes com a qualidade na prestação do serviço.

Dicas para se alcançar bons resultados na profissão:

  • Investir continuamente na capacitação profissional;
  • Buscar constantemente a excelência;
  • Informar e desenvolver com qualidade e credibilidade;
  • Perseguir a integridade sistêmica e operacional;
  • Sempre ter compromisso com a verdade e a transparência.

(Fonte: Terra – Notícias)

Anúncios

Comissão para corretores de imóveis é discutida por sindicato

imagem-artigo-850x450

Serviços prestados por corretor imobiliários podem ser imprescindíveis no momento em que se pretende realizar uma contratação de compra, venda ou alugue. Porém, quando o assunto é o planejamento de custos, deve-se frisar que estes profissionais também necessitam de sua remuneração garantida.

De maneira geral, o que é estabelecido em contrato sugere que quem paga o honorário pelos serviços do profissional é o vendedor (em casos de compra e venda) ou o proprietário do imóvel (em casos de aluguel). O acordo assim se caracteriza pelo fato de que aquele que paga pela colaboração do corretor é quem está fechando um bom negócio graças a seu serviço.

Ainda assim, o comprador corre o risco de ser cobrado, desde que isso esteja previsto em contrato com aprovação de ambas as partes requeridas. É ele quem fica responsável pelo pagamento em algumas situações, como quando é o próprio quem procura pela qualificação e eficiência de um corretor, mesmo que seja comum o vendedor faze-lo. Dependendo da situação, o profissional também pode guiar a negociação entre os interessados.

Hoje em dia, empreiteiras e construtoras estão usando de todos os artifícios para alavancar suas vendas, o que se reflete na assinatura de contratos com corretores. A fim de engajar os profissionais a fecharem negócios imobiliários a favor das empresas, é bastante comum que os mesmos recebam uma comissão de 5% no caso da venda de novos imóveis, e que sejam também oferecidas outras tantas vantagens com o mesmo intuito.

Quando um corretor presta seus serviços a favor de uma empresa imobiliária, é acertado que ele receba cerca de 40% do valor já pago na comissão. É de praxe ser reservado também 10% para o profissional que tenha adicionado algum imóvel ao mix de ofertas da empresa. Dessa forma, alguém que tenha fechado negociação de compra e posterior venda por uma imobiliária adquire 50% do valor fechado para a comissão.

Garantia de segurança

Caso a negociação seja realizada sem o intermédio de um profissional do ramo imobiliário, a comissão pela corretagem não deverá ser cobrada. Entretanto, é aconselhável que o procedimento seja executado com auxílio de um bom corretor. Muitos proprietários acreditam que a presença de um corretor pode criar um obstáculo para suas vendas, porém, a realidade é que o acompanhamento do profissional dá uma garantia a mais para o negócio.

Diversas pessoas interessadas em vender suas propriedades ainda anunciam a venda direta como um fator positivo, a fim de atrair possíveis compradores, de forma a pensar que a negociação sem um corretor teria diminuição de custo. Todavia, este fundamento não se sustenta, uma vez que, nesses casos, o comum é que a contratação do profissional fique por conta do próprio vendedor.

Percentuais cobrados por honorários

  • Vendas de imóveis urbanos novos: 5%
  • Vendas de imóveis urbanos usados: 6%
  • Vendas de imóveis rurais: 10%
  • Locação de imóveis: 10%
  • Aluguéis por temporada: 20%

A fim de conhecer os direitos que amparam a comissão de corretagem, consulte no Código Civil: Capítulo VIII, Art. 724-729.